Plataforma Juridica

Blog de Direito

Maria Cristina Peduzzi

Maria Cristina Peduzzi: é uma das figuras femininas mais importantes da política brasileira. Nascida no Uruguai, com descendência uruguaia por parte paterna e brasileira por parte materna, ele optou pela nacionalidade brasileira. Maria Cristina Peduzzi é jurista, formada em direito e possui título de mestra na mesma área. Seu atual e mais importante cargo, até o momento, é o de presidenta do TST (Tribunal Superior do Trabalho), posto que assume desde o segundo mês do ano de 2020.

Maria Cristina Peduzzi também é escritora. Autora de diversas obras no campo do direito, ela é academicamente muito admirada.

Maria Cristina Peduzzi viveu uma boa parte da sua infância no Rio Grande do Sul, e foi por lá onde iniciou o seu curso de direito, porém, para acompanhar seu marido, ele transferiu-se para a cidade de Brasília, onde obteve o título de bacharel em direito, e consecutivamente o título de mestra no mesmo âmbito. Maria Cristina Peduzzi ocupou-se na arte da advocacia por mais de duas décadas e meia, até que no início dos anos dois mil ela recebeu a indicação para ministra do tribunal Superior do Trabalho.

A biografia de Maria Cristina Peduzzi

A biografia de Maria Cristina Peduzzi começa na cidade de Melo, pequena cidade uruguaia com pouco mais de 50 mil habitantes, a cidade faz fronteira com alguns municípios brasileiros. Ela veio ao mundo no vigésimo primeiro dia do mês de Dezembro do ano de 1952. A sagitariana veio com seus pais para o país tupiniquim ainda muito jovem, o que a fez se identificar como brasileira segundo a biografia de Maria Cristina Peduzzi.

De acordo com a biografia de Maria Cristina Peduzzi, ela cresceu na pequena cidade de Bage, localizada no Rio Grande do Sul com cerca de 121 mil habitantes. Ao crescer, optou pela carreira jurídica, o que a fez ingressar na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na cidade de Porto Alegre, para cursar direito. Porém, não foi lá onde conseguiu o título de bacharel em direito, ele optou para se mudar para Brasília, no Distrito Federal, a fim de acompanhar seu marido. Ela se transferiu para a Universidade de Brasília, UnB, onde concluiu sua graduação aos 23 anos de idade, no ano de 1975. Os anos seguintes de sua carreira, de acordo com a biografia de Maria Cristina Peduzzi, foram dedicados a advocacia, sendo que nesse período ela assumiu cargo na promotoria da república e na procuradoria do trabalho. Ela também dedicou ao magistério, conseguiu concluir seu mestrado e lecionou em importantes centros acadêmicos no campo do direito, como a própria universidade em que se formou e na Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O marido de Maria Cristina Peduzzi

Maria Cristina Paduzzi embora seja uma personalidade pública, ela sabe manter bem sua vida privada. Pouco se sabe a respeito de sua vida particular da ministra. Quando falamos do marido de Maria Cristina Peduzzi, menos ainda. Das poucas informações que se sabe um é que ela mudou-se do estado do Rio Grande do Sul para Brasília acompanhando seu marido que possui cargo público. Uma polêmica que gira em torno do casamento dela, foi o comentário de Pedro Taques, que fala sobre “filhotismo”, no caso, haver advogados(as) casados com ministros(as) atuando na mesma corte em que parentes ou pessoas próximas do convívio familiar julgam. Maria Peduzzi lebrou quem em casos assim o juiz deve se declarar impedido de arbitrar tal caso.

Qual a nacionalidade de Maria Cristina Peduzzi?

A presidenta do TST nasceu no Uruguai, mas sua nacionalidade é brasileira, que é como ela mesma se identifica.

Onde Maria Cristina Peduzzi ministrou aulas?

Ela lecionou na UnB, Mackenzie, Ceub e IDP, ela produziu literatura no campo do direito nesse período.

Quem indicou Maria Cristina Peduzzi ao TST?

A ministra, em junho de 2001, foi indicada ao cargo pelo então presidente da república Fernando Henrique Cardoso.

O currículo de Maria Cristina Peduzzi

O currículo de Maria Cristina Peduzzi é bem amplo. Ela além de ter exercido a profissão de advogada, também foi professora universitária em nível de graduação assim como também em nível de pós graduação na cidade Brasília, tanto em instituições públicas como em privadas, Universidade de Brasília e Centro Universitário de Brasília (Ceub) respectivamente. O currículo de Maria Cristina Peduzzi também marca presença em outros centros universitários de renome, como a universidade Mackenzie e o Instituto Brasiliense de Direito, onde esse último tem como sócio fundador Gilmar Mendes.

Antes de ser indicada para o TST, o currículo de Maria Cristina Peduzzi teve uma breve passagem por outros dois órgãos públicos de muita importância para a estrutura judiciária brasileira. O ministério Público Federal, onde foi procuradora da república e também no Ministério Público do Trabalho, onde também exerceu a função de procuradora, respectivamente nos anos de 1984 e 1992. Mesmo sendo cargos muito importantes, o currículo de Maria Cristina Peduzzi chega ao auge, por enquanto, no TST, onde é indicada como ministra e anos depois assume o cargo de presidenta.

Maria Cristina Peduzzi TST

A relação Maria Cristina Peduzzi TST está próxima de completar duas décadas. A atual presidenta foi indicada ao cargo de ministra do órgão no começo do milênio, ao longo do ano de 2001. Simultaneamente, num período de 3 anos, 2002 até 2005, a então ministra também assumiu o cargo de presidenta da academia brasileira do direito do trabalho, onde articulou diversos congressos. Tudo isso durante a relação Maria Cristina Peduzzi TST.

Ao falar de Maria Cristina Peduzzi TST, é quase impossível não falar dos feito da ministra. Ela foi a primeira mulher a assumir o cargo de presidente do Tribunal Superior do Trabalho. Ela foi eleita em Dezembro do ano de 2019, e estará no cargo durante os próximos dois anos. A presidência do órgão é bienal, ou seja, o mandato de quem assume o cargo máximo dura dois anos. O que faz Maria Cristina Peduzzi TST terem uma imagem quase dissociável.

Filhos de Maria Cristina Peduzzi

Como já dito anteriormente, a ministra e presidenta do TST (Tribunal Superior do Trabalho) Maria Cristina Peduzzi tem uma vida particular extremamente restrita. Pouco se sabe a respeito de casamento ou filhos da ministra. O que por um lado pode ser bem visto, pois não é bacana misturar trabalho e vida particular, principalmente se tratando de uma figura pública (lembrando que ser bem ou mal visto é muito subjetivo). A própria ministra alega ter dedicado boa parte da sua vida para a carreira profissional.

Maria Cristina Peduzzi e Bolsonaro

A relação Maria Cristina Peduzzi e Bolsonaro se deve muito a ministra ter sido eleita a primeira presidenta do Tribunal Superior Eleitoral ao longo do mandato do presidente da república Jair Messias Bolsonaro. O grande foco da relação Maria Cristina Peduzzi e Bolsonaro gira em torna das reformas trabalhistas, as reformas da CLT. Que estão em andamento desde a presidência de Michel Temer, e causam muitas discussões em todos as cantos do Brasil.

No caso, a relação Maria Cristina Peduzzi e Bolsonaro que diz respeito a reformas trabalhistas estão muito vinculadas as declarações da ministra e presidenta, de que há necessidade de se alterar muitas coisas na CLT, que ela já está ultrapassada e o que ocorreu de alteração durante o governo Michel Temer são insuficientes para a realidade do trabalhador brasileiro nos dias atuais. A relação Maria Cristina Peduzzi e Bolsonaro continuará pelo menos até 2021, quando acaba o mandato da presidenta.